Hino do Blog - Clique para ouvir

Hino do Blog : " ...e todas as vozes da minha cabeça, agora ... juntas. Não pára não - até o chão - elas estão descontroladas..."
Clique para ouvir

Friday, September 15, 2017

Filme - "Tom of Finland"


Neste momento no qual se discute o que é ou não arte, o que dizer de um artista cuja obra surgiu em revistas gays semi-clandestinas de quinta qualidade da década de 50, e que hoje conta com itens no acervo no Museu de Arte Moderna de Nova Yorque, e que também foi objeto de exposição no Instituto Cultural Finlandes (Paris), Casa da Cultura (Estocolmo), Museu de Arte Contemporânea (Los Angeles), Instituto de Arte Contemporânea (Londres) e outros, além de ter sido publicado pela editora Taschen em item de luxo ?

O artista em questão é o Touko Valio Laaksonen, que agora tem sua vida, obra e influência mostrada no filme “Tom of Finland” (2017) de Dome Karukoski,  uma produção de cinco milhões de euros que demandou três anos de filmagens na Finlândia, Suécia, Alemanha, Espanha e Estados Unidos 

Segundo seu diretor, a obra foi proibida em mais de 50 países por seu tom abertamente homossexual, sobretudo em países de expressão árabe. 

Verdade ou não, o lance é que o filme pode incomodar alguns “não iniciados” por suas cenas homoeróticas, que afinal nem são tão “perturbadoras” assim.

De qualquer forma, o grande mérito do filme é revelar a influência de Touko (depois rebatizado como Tom of Finland), para a cena gay mundial.

Numa época (anos 50) quando a visão sobre os gays ainda era fortemente influenciada por Oscar Wilde com seus rapazes diáfanos, e em meio ao tenebroso Macartismo, Tom esculhambou tudo criando um mundo composto por motociclistas, policiais, soldados, marinheiros cowboys e outros “símbolos de machismo”, vivendo sua sexualidade de forma absolutamente descarada.

Fortemente influenciado por sua experiência como tenente durante a segunda guerra – que o fez um fetichista de uniformes -, e devoto fanático da figura de Marlon Brando em “O Selvagem” - que o transformou num “leather” para o resto da vida - , Tom permitiu aos gays “se empoderarem” e se afastarem daquela imagem afetada de dândis recostados em chaise-longes e se esfumaçando com piteiras enquanto ouviam Marlene Dietrich.

Nada disto.

Segundo o poeta, critico de arte e autor Edward Lucie-Smith, Tom “alterou o modo como os gays pensavam sobre si mesmo. Ele também mudou a forma como os héteros pensavam a respeito dos homossexuais. Enquanto alguns héteros sentiam-se desconfortáveis, ou mesmo ameaçados pela nova forma de comportamento gay proposta por Tom, outros, mesmo contra sua vontade, a acharam sedutora, e, na maioria das vezes inconscientemente, absorveram aspectos do imaginário de Tom nos seus próprios estilos de vida. Ele mudou não apenas seus jeitos de vestir, como também afetou alguns de seus aspectos de comportamento como postura e gestual” (Fashion in Popular Culture – Literature, Media and Contemporary Studies). ...(Pausa : Será verdade? Sei lá, mas de uma coisa eu sei : muitas vezes os gays são os primeiros a adotar algum estilo para, depois, os heteros virem na cola.)

Mas voltando ao Tom – que entre seus fãs temos Camille Paglia e John Waters - , a partir dos seus desenhos , os gays se apropriaram de muitos dos ditos “símbolos masculinos” e construíram toda uma nova cultura para o meio (inclusive o Village People), que perdura até hoje.

O filme não é grande coisa, por conta do seu enredo “fraquinho”, mas cumpre muito bem seu papel de resgatar a obra e influência deste artista tão importante.

Vale a pena

--------------------------

Algumas obras :







Thursday, September 14, 2017

Show - As Bahias e a Cozinha Mineira

Uma pajelança.

Só assim para definir o show de ontem à noite do grupo As Bahias e a Cozinha Mineira no Teatro São Pedro.

Pop, rock, dance, maracatu, blues, samba, axé, manguebeat, tudo misturado num mix musical destruidor.

Assucena Assucena e Raquel Virgínia, as vocalistas trans, demoliram a cena com suas performances elétricas carregadas de energia.

Confesso que não conhecia o grupo, mas me apaixonei. Virei fã.

Este trecho da música "Reticências" me conquistou.

Tuesday, September 12, 2017

Manifestação de apoio à Exposição QueerMuseu em Porto Alegre

O clima ficou tenso hoje à tarde na frente do Santander Cultural., na Praça da Alfandega

De um lado o povo do MBL (e alguns simpatizantes), e do outro, representantes de vários grupos sociais e partidos políticos protestando contra o fechamento da Exposição QueerMuseu.

Como não podia deixar de ser, os lados antagônicos quase entraram em êxtase vociferando um contra o outro.

Mas, por estar em minoria diante dos manifestantes raivosos, o povo do MBL para não acabar levando umas bordoadas, acabou saindo rapidinho para alegria e vitória dos que ficaram.