Hino do Blog - Clique para ouvir

Hino do Blog : " ...e todas as vozes da minha cabeça, agora ... juntas. Não pára não - até o chão - elas estão descontroladas..."
Clique para ouvir

Thursday, December 15, 2005

Encontrando Deus através do sexo

Image hosted by Photobucket.com

A idéia de transcendência espiritual, da experiência mística através do sexo é antiga. De imediato podemos lembrar a antiguíssima tradição Tantrica que prega o auto-conhecimento o desenvolvimento da consciência, da sensibilidade, da aceitação, da naturalidade, da totalidade do ser através de técnicas de energia corporal.

Toni Bentley é uma mulher que alcançou esta transcêndencia através da prática do sexo anal. No livro “A entrega – Memórias Eróticas” Tony relata sua trajetória nesta viagem pelo caminho da descoberta da espiritualidade através da carne.

Vinda de uma família que a registrou como “agnóstica” na certidão de nascimento, -isto sem falar nas formas de violência emocional a que foi submetida pelos pais, exemplificada cruamente numa passagem envolvendo uma banana- Toni cresceu sentindo-se uma diferente, uma estranha num mundo onde parecia que todos tinham uma religião de onde tiravam, na visão da garota, um sentimento de comunidade, de inclusão o qual ela nunca iria alcançar. Para ela as demais pessoas encontravam na religião todas as respostas para suas necessidades de conforto e até para os dissabores. E ela tinha o que para confortá-la sendo rotulada desde bebê como “agnóstica” ?

Esta falta de sentimento místico tornou-a uma estranha no ninho, a fez sentir-se excluída. Cresceu nela um sentimento de falta, de ôco, de vazio existencial. Sentindo-se culpada e raivosa, sem saber ao certo porque, torna-se uma bailarina extremamente exigente e rigorosa consigo mesma, o que a faz buscar a superação através da dor dos exercícios físicos e na abstinência alimentar. O sofrimento provocado pelo uso das duras sapatilhas a reconforta.

Depois, já adulta, transfere esta raiva para os homens. Nos seus encontros sexuais assume o papel de dominadora. Quer ter sua vagina adorada, exige submissão dos parceiros. Consegue isto, mas seus encontros, seus orgasmos, suas experiências a frustram. A troca de parceiros, namorados e até um casamento não a completam, não a realizam.

Após a separação torna-se quase que uma predadora sexual exigindo cada vez mais dos parceiros e em contrapartida frustrando-se cada vez mais.

Até que encontra o Homem-A que com o qual experimenta o sexo anal. É uma revelação. Neste momento seu mundo gira, inverte-se. De dominadora passa a dominada. Neste ato, a experiência da necessidade de expandir a conexão íntima com seu próprio corpo para proporcionar uma entrega ao parceiro a transforma. Através da âmago da experiência carnal seu espírito cresce, sua mente liberta-se, as amarras se rompem e ela sente-se livre. Agora, sentindo-se dominada, nâo existe mais a exigência, a reclamação, a insatisfação. Não existe mais a dualidade. Agora ela pode relaxar e sentir uma profunda união física, emocional e espiritual com o outro.

A prática da sodomia -baseada intimamente na confiança, na transmutação da dor e no encontro de um novo prazer- proporciona a ela o desapego de traumas, tabus, ódios, ressentimentos e tudo o que representa obstáculo para a “entrega”. Sem pai nem mãe mais a ditar conceitos e preconceitos na sua cabeça, sem bloqueios, longe da noção pecado, sujeira, certo ou errado, ela liberta seu físico, mente e coração. O fluxo, a energia vital toma sua totalidade, a preenche, não deixando mais espaço para dúvidas ou inquietações. Toni sente-se renascida, renovada. Sua alma levita. A entrega, a doação irrestrita do seu ser emocional e físico a conecta com o Superior. Através da penetração anal ela encontra seu caminho para Deus.

Mas a experiência não termina aí. Como todo aquele que busca o caminho espiritual sabe, após encontrá-lo e trilhá-lo (com suas alegrias, dificuldades e sofrimentos), deve-se deixá-lo pois, de outra forma, corre-se o risco de apaixonar-se pelo caminho e, assim, prender-se a ele como num labirinto. Como uma legítima peregrina Toni também relata seu processo de ruptura, de afastamento daquilo que ela amava. Isto, apesar de destruí-la emocionalmente, a leva à descoberta de uma nova mulher em si. Uma mulher plena, senhora dos seus desejos e de sua vida.

Realmente um livro ousado, inteligente e religioso.


Para os juízes, preconceituoso e horrorizados de plantão registro abaixo uma passagem do livro “Espiritualidade “ do Leonardo Boff com a qual concordo integralmente :

“O universo é um grande sacramento. A matéria é sagrada. A natureza é espiritual. Por que? Porque é o templo de Deus. Deus está em tudo e tudo está em Deus. .. (...)... a fé deve ser vigorosa para poder ver Deus, realmente, em todas as coisas, mesmo nas mais contraditórias...”

---------------------------------------------------------------------------------------------

Mais informações sobre o livro nos links abaixo

http://www.digestivocultural.com/colunistas/coluna.asp?codigo=1744

http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT1053076-1655,00.html

http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT1052878-1661,00.html



8 comments:

greentea said...

Em complemento do que disseste envio este texto que acho lindissimo tb.

Sobre amor e sexo
por Flávio Luiz Gomes Bastos - flaviolgb@terra.com.br

O amor no seu sentido mais amplo é um transbordante oceano de energias que se fundem e se completam à procura do êxtase divino. O amor é como uma radiante estrela que com seus raios luminosos abre caminho na escuridão do firmamento.

Fomos, na nossa origem, concebidos com e para o amor. Somos impulsionados por esta incrível vibração energética que nos é inerente e natural. Não temos como fugir desta programação original que reside no âmago de nossas almas e que nos remete, através de sucessivas encarnações, para o crescimento consciencial.

As ilusões e fantasias das "cascas" ou do Eu inferior e egóico tornam-se básicas e importantes experiências de vida que visam aprendizados no processo de evolução do que é essencial.

No sexo, através da experiência do orgasmo entre dois seres que se amam, nos é permitido vivenciar uma completude de fusão, onde as almas que profundamente se tocam, momentâneamente experimentam o divino entre nós.

Porém, o sexo nada mais representa que um caudaloso rio que deságua neste imenso oceano de energias chamado amor. O importante, acima de tudo, é podermos decifrar o significado desta "fusão de águas" em nossas vidas.

Amor e sexo se misturam e se confundem, assim como se mesclam as coisas da matéria e do espírito. Mas possuímos a inigualável capacidade de discernimento e, à medida em que consciencialmente evoluímos, conseguimos perfeitamente distinguir a importância de ambos no contexto do Verdadeiro.

No entanto, sexo e amor não são inseparáveis nem imprescindíveis. O amor sublima o sexo à medida em que, pelo livre arbítrio, fizemos escolhas. A sexualidade, impulsionada pelo amor, é aquela energia vital que aproxima, que une e completa. Se estimulada pelo desamor é aquela que afasta e desune. Tudo é aprendizado.

Somos seres peregrinos e caminhantes da mesma estrada. Alguns temporariamente param pelo caminho, outros seguem resolutos. Ninguém retorna. Assim como a concepção da criação divina no útero materno, somos como espermatozóides na corrida pela fusão com o óvulo da vida eterna.

Psicoterapeuta Reencarnacionista.

por Flávio Luiz Gomes Bastos - flaviolgb@terra.com.br

------------------------------
Quem pode ficar chocado com a beleza de um texto destes???????
Só provavelmente aqueles que nunca amaram verdadeiramente, que nunca tiveram um orgasmo e que nunca acederam à maravilhosa experiencia de aproximação do Extase, do Divino através da fusão de dois corpos ligados pelo Amor, pela profunda dádiva de si próprios.
É Mistico? Creio que sim.
Um abraço para ti.

Anonymous said...

Salve, Iuri,

Realmente interessante. Especialmente porque em outra lista eu estava debatendo exatamente sobre magia sexual.

Abraços,

Gian

Anonymous said...

Sem comentarios. Aí ja pegou pesado com o Altíssimo.

Anonymous said...

Olha, pelo sexo mesmo, eu não senti nada ainda, mas quero logo sentir. Mas nas fantasias de contato físico, eu sinto uma energia tão grande q seria difícil explicar. Não sei nem se é divina a coisa, mas eu já tentei levar pra esse lado e, sinceramente, foi mto bom. Espero q com meu nenenzim eu possa tentar algo mais palpável. Se der certo, eu conto aki.

Dante

Rodrigo Thor said...

Definitivamente a gente morre e não vê tudo. ;)

Não, não é um comentário negativo.

O ser humano tem muito a descobrir sobre si mesmo antes do fim.
Como num outro post teu dizia, acho que muitas das questões mais antigas e certas e inquestionáveis estão para ser balançadas e, por fim reduzidas ao pó.

Será que vamos chegar a viver nesse mundo diferente que deve vir por ai?

greentea said...

se não o construirmos não viveremos nele...

Anonymous said...

pois eh meu caro jr, o sexo transcendental existe sim com as pessoas que se relacionam com o mesmo sexo; seria algo meio que surreal, inexplicável e espiritual. creio, inclusive, que tal forma de prazer eh muito comum entre nós, porém desconhecida pela maioria ou por aqueles que querem apenas sexo por sexo. algumas pessoas, quando desenvolvem a referida prática, alcançam uma espécie de elevação psiquica-sexual onde, a ejaculação, tão esperada fisicamente para saciar os olhos ávidos de prazer, acontece no plano hemisférico da alma, de forma a causar um estado de leve torpor naquele que vive o momento que, diga-se de passagem, eh uma viagem. aliás, um dos fatores principais para se atingir esse estágio sexual, eh a cumplicidade, além do respeito e da intimidade entre os envolvidos, de modo a propiciarem, sob reciprocidade, uma viagem íntima capaz de superar as limitações humanas, o que, de certa forma, seria o suficiente para se encontrar o "alfa", ou seja, encontrar a si mesmo e, por conseguinte, encontrar a Deus...

abraços e feliz natal a vc e a todos,

Marcos

Homossexual e Pai said...

Realmente Iuri, parece ser um livro ousado de uma estoria de vida unica! Obrigado por dividir isto conocosco!
BS